Paulo, homem hebreu de religião judia, nasceu no ano 5 da era cristã, oriundo de Tarso da Cilícia, cidade situada no sudeste da atual Turquia. Recebeu dois nomes, Saulo – hebreu e Paulo – romano. Seus pais eram judeus, mas gozavam dos privilégios da cidadania romana.

Educado no farisaísmo, uma das seitas do judaísmo do século I, chegou a perseguir o nascente grupo dos cristãos (Gal 1, 13-14), o qual se contrapunha à pureza da religião judaica.

Foi chamado a seguir Jesus quando Este, mostrou-se a ele, assim como o fez com os demais apóstolos. Diante de tal convite, Paulo respondeu a esse chamado através do batismo e pela sua dedicação à difusão do evangelho de Jesus Cristo (At 26, 4-18).

Seu exemplo de conversão atingiu momento ápice quando passou a compreender o que é a Igreja como Corpo de Cristo. Assim, concluiu que quando se persegue um cristão, significa dizer que há perseguição do próprio Cristo.

A conversão de Paulo é uma das mais importantes da história da Igreja, pois revela o poder da graça divina, a qual foi capaz de transformar Saulo, perseguidor da Igreja, no “Apóstolo Paulo” por excelência, com a missão de evangelização dos pagãos.

É possível afirmar que o próprio Paulo, rememorando seu passado sombrio com a Igreja, quando atuou como perseguidor implacável das primeiras comunidades cristãs, atribuiu a si mesmo o título de “o menor entre os Apóstolos” e ainda, de “indigno de ser chamado Apóstolo”.

Todavia, Deus, que conhecia sua retidão, tornou-o testemunha da morte de Santo Estevão, cena descrita nos Atos dos Apóstolos, Livro que contém parte da epopéia apostólica de Paulo, em que se vê, “no meio de tantos trabalhos ele, sempre o mesmo, sempre mais e mais abrasado no amor de Jesus Cristo, sempre mais e mais zeloso de levar Seu Santo Nome por todas as nações da Terra”.

Além disso, Paulo recebeu do próprio Jesus o evangelho que devia pregar e pela ajuda da graça, através de uma reflexão mais profunda, soube colher frutos a partir das principais implicações do mistério divino, a fim de demonstrar as consequências de uma verdadeira caminhada com Cristo e sem Cristo.

Desta feita, que o grande exemplo de conversão de São Paulo, possa atingir nosso coração para sermos verdadeiramente DECIDIDOS por Jesus Cristo diariamente!