Neste domingo, 31 de maio, a Igreja celebra a festa de Pentecostes, dia em que a promessa de Cristo aos apóstolos, de que o Pai lhes enviaria o Espírito Santo para guiá-los na missão evangelizadora, se cumpria. Considerada uma das solenidades mais importantes para a Igreja Católica, a festa de Pentecostes encerra o período pascal e inicia um novo dia na vida dos cristãos que, agora capacitados pelo Espírito Santo, anunciam a mensagem do Senhor ressuscitado a todo o mundo.

Foi a partir de Pentecostes que os Apóstolos de Jesus se encheram de coragem, sabedoria e pregaram sem medo, enfrentando toda perseguição dos judeus, pois o Espírito Santo estava com eles. Cinquenta dias depois da Páscoa, “chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo, que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu. Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua.” (At, 2, 1-6). Essa passagem bíblica apresenta o novo rumo da obra de Deus, fundamentada na Ressurreição de Cristo.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, no dia de Pentecostes, “a Páscoa de Cristo completou-se com a efusão do Espírito Santo, que se manifestou, se deu e se comunicou como Pessoa divina: da Sua plenitude, Cristo Senhor derrama em profusão o Espírito” (CIC, n. 731).

No sacramento de crisma recebemos os sete dons do Espírito Santo: sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus. O Espírito Santo nos santifica, nos ilumina e nos fortalece, por isso, nessa celebração somos convidados e enviados para anunciar ao mundo a presença do Espírito Santo em todos nós.

Papa Francisco diz que “Sem o Espírito, a vida cristã desfia-se, privada do amor que tudo une. Sem o Espírito, Jesus permanece um personagem do passado; com o Espírito, é pessoa viva hoje. Sem o Espírito, a Escritura é letra morta; com o Espírito, é Palavra de vida. Um cristianismo sem o Espírito é um moralismo sem alegria; com o Espírito, é vida. (…) sem o Espírito, a Igreja é uma organização, a missão é propaganda, a comunhão é um esforço.”

No nosso dia a dia, é o Espírito Santo quem nos envia, nos acompanha e nos motiva a seguir em frente em nossa caminhada, que nos tira da acomodação e nos faz enxergar as coisas do alto. É a experiência com o Espírito Santo nos faz encarar os acontecimentos com coragem. Portanto, que possamos no dia a dia de nossas ações, seja na família, no trabalho ou com os amigos, levar o amor de Cristo com alegria e felicidade para todos.