Neste sábado, dia 15 de agosto, a Igreja celebra a Assunção da bem-aventurada Virgem Maria, Nossa Mãe. Segundo a Sagrada Tradição, Nossa Senhora foi elevada ao céu de corpo e alma após sua morte, conduzida por Deus, para junto de seu Filho amantíssimo, na glória celeste.

A Assunção da Virgem Santíssima foi proclamada, solenemente, pelo Papa Pio XII, no dia 1º de novembro de 1950. Antes, esta celebração, chamava-se “Dormição”, porque foi sonho de amor.

Naquele dia, na Praça São Pedro, em Roma, perante cerca de um milhão de fiéis, por meio da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus, o Santo Papa proclamou como dogma de fé, ou seja, uma verdade doutrinal, dizendo:

“Pronunciamos, declaramos e definimos ser dogma dignamente revelado, que a Imaculada Mãe de Deus e sempre Virgem Maria, terminando o curso de sua vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celestial. “Finalmente, a Imaculada Virgem, preservada imune de toda mancha da culpa original, terminado o curso da vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celeste. E para que mais plenamente estivesse conforme a seu Filho, Senhor dos senhores e vencedor do pecado e da morte, foi exaltada pelo Senhor como Rainha do universo”. (Constituição apostólica “Munificentissimus Deus” (M.D DE Pio XII – primeiro de Novembro de 1950).

A “Assunção de Nossa Senhora ao Céu” significa que o Senhor reconheceu e recompensou com antecipada glorificação todos os méritos da Mãe, principalmente alcançados em meio às aceitações e oferecimentos das dores e que ao lado do Filho, Ela intercede por nós. De acordo com o Catecismo da Igreja Católica “de modo inteiramente singular, pela obediência, fé, esperança e ardente caridade, ela cooperou na obra do Salvador para a restauração da vida sobrenatural das almas. Por este motivo ela se tornou para nós mãe na ordem da graça” (n.968).

Sua Assunção é uma participação na Ressurreição de seu Filho e uma antecipação da ressurreição dos outros cristãos. Assim, a glória da Assunção de Nossa Senhora ao Céu é, para nós católicos, a certeza de que o céu existe e é nosso destino.

Nossa Senhora da Assunção, rogai por nós!